Capitulo 38 – Enigmas e Mistérios

No final do dia nos reunimos, ninguém havia encontrado nada sobre o anel além de eu e Alice, mas tudo que temos parece mais uma brincadeira de caça ao tesouro de um Renascido maluco.

“Então Zeff, sabe alguma coisa sobre isso?”
“Conheço os nomes de alguns deuses, mas nunca vi esse goblin velho, tão pouco esse tipo de óculos.”
“Isso é de um filme. Já existiam filmes na sua época?”
“Ouvi falar, mas nunca vi em nosso velho mundo.”
“Estes são os deuses do seu antigo mundo?”
“Sim Goetia. Mas não são da nossa época. Eles…”

Zefferi se distraiu respondendo Goetia e acabou deixando o papel perto demais da vela, estava começando a queimar quando vi e afastei o braço dele.

“Senhorita Maggie?!”
“Alice, água!”

Ela nem pensou, jogou água na gente com sua magia. Devo dizer que sendo uma planta, isto foi agradável, mas como pessoa foi um incômodo porque minhas roupas estão molhadas agora.

“Calma Magneria! Por que isso?”
“Zefferi, o papel tava queimando.”
“Podia ter dito isso antes de pular em mim e mandar Alice nos encharcar.”
“Desculpa…”

É… Nem pensei nisso.
[ Novo título adquirido: Insensata ]
Para de me dá títulos ruins! Eu não quero essas coisas!

“Ei, olha! Tem algo no verso do papel!”

 Ué, eu não vi nada atrás antes. Será que é alguma tinta mágica?

“Ah, entendi!”

Goetia conjurou uma pequena chama na ponta do dedo e fez as letras aparecerem ao passar o fogo perto do papel.

“Li sobre isso num livro de história uma vez, o exército do antigo overlord usou para transmitir mensagens em segredo.”
“Nossa! O que tá escrito?”

Zefferi lê a mensagem secreta e faz uma cara confusa.

“Isso não é nossa língua, mas é parecida. Já a outra parece um mantra repetindo as sílabas ‘ze’ e ‘un’.”

Eu olhei também, no primeiro papel estava escrito “Zat Magi, jukai” com o desenho de uma posição de mão esquisita e no outro “Zeunzeunzeunzeze zeunzezeunununun zeunzeunzezezeun zeunzeunzeunzeun zeunzezezeunzeun zezeun…”

“AAAAAAH ME PERDI!”
“What the…?! O que é foi isso Magneria?!”
“Senhorita!?”
“Mag, você é doida?!”

Eu assustei todo mundo, os goblins vieram correndo e quase derrubaram a porta armados e preocupados comigo.

“Desculpa, eu…”

Que vergonha, assustei todo mundo…
Os goblins ficaram aliviados que estou bem, espero que possamos pagar pela dobradiça quebrada.

Passamos a noite procurando respostas cada um ao seu modo: eu fiquei tentando descobrir o que era esses “zeun” todos, Alice usava sua habilidade para tentar encontrar algo sobre o anel ou esses códigos ou o homem misterioso, Zefferi tentava e tentava traduzir a mensagem, Klein saiu pra procurar mais uma vez e enquanto Goetia estava vestindo umas roupas estranhas e desenhando algumas coisas no chão no meu quarto, então decidi falar com ela só pra garantir que não vou me ferrar nessa.

“Você vai fazer um ritual?”
“Não é óbvio?”

É, foi uma pergunta meio idiota. Mesmo assim, ela é ignorante demais.

“Isso é pele de verdade?”
“Não têm como fazer pele de mentira.”

Bem, na verdade… É, não aqui. Tenho certeza que ninguém inventou roupas de pele artificial aqui ainda.

“Sua mãe que caçou o leão?”
“Herança do meu avô. É roubado de um guerreiro.”

Ela nem olha na minha cara enquanto desenhou o círculo perfeito, mas pelo menos tá me respondendo.

“Você vai mesmo ficar aí?”
“Como?”

É meu quarto, você que invadiu oras!
Essa menina é ousada demais.

“Ou sai do quarto ou entra no círculo. Para sua segurança. Não quero ser acusada de traidora por culpa sua.”

Eu, meio com medo, mas querendo mostrar que eu que mando, decidi entrar no círculo.
Até poderia ficar de fora, mas não sou idiota de me arriscar assim.

“Ok, e agora?”
“Nada.”
“Como assim?”
“Estou esperando dar 28 horas, quando a lua estiver na posição correta.”
“Achei que toda magia fosse simples e fácil. Eu só me concentro, sinto a energia, as palavras certas aparecem na minha cabeça e… Boom! Magia!”

Ela faz um som de deboche com a boca e olha pra mim com um ar de superioridade.

“Vocês maginatos nunca vão entender o trabalho duro de um um mago. Tolos…”

O silêncio prevaleceu enquanto ela meditava e o círculo de proteção brilhava ao nosso redor, então começou a recitar as palavras mágicas e gesticular com um cajado e uma adaga, seus olhos brilham e sinto o ar ficando pesado.
Mas do que ela me chamou mesmo? Maginato, né? Maginato… Magi… Mago… Tolos… É isso!
Ou quase isso…?

“Obrigado sua tsundere do capiroto!”

Eu abracei ela e levantei, Goetia esperneou me xingando nessa língua estranha e então percebi que fiz besteira ao ver que no outro círculo tinha um demônio sentado numa privada surpreso em nos ver.

“É…”
“Estou ocupado! Não me evoquem!”

Então ele desapareceu em fumaça, a menina me deu um cascudo e disse que eu fiz ela desperdiçar mana e errar o símbolo por ficar falando com ela, então decidi ir pra outro quarto já que o meu tá fedendo com cheiro de banheiro e fumaça agora. Deve ser por isso que não fez no quarto dela.

Fui para sala de jantar da hospedaria onde haviam Alice, os goblins e outras pessoas comendo.

“Ei Mag, você lembra das aulas de computador?”
“Sim. O que tem?”
“Eu procurei sobre aquele treco da mensagem secreta e vi um homem pequeno e ruivo mexendo numa máquina que imprimia números. Eu escrevi no papel o número que vi.”
“Nossa! Valeu Alice!”

Eu vi que era um monte de 0 e 1.

“Não parece muito com aquele código doido que o professor mostrou?”

Eu pensei um pouco e me lembrei, ela tá falando de código binário!

“É isso mesmo!”

Eu suponho que Ze seja para Zero então depois de um tempo consegui transcrever, mas não sei o que faremos sem um computador pra traduzir. Talvez com a máquina do homem, nós vamos conseguir…

“Alice, consegue encontrar o lugar que esse homem e a máquina deles estão?”
“Sim, mas…”
“O que? É perigoso?”
“É no fundo do mar!”

A resposta de Alice e esses enigmas me deixaram cheia de perguntas, mas agora vou me concentrar na questão mais importante: como chegaremos lá?

Anúncios

MW 28 Dirty Harry

O nosso grupo de protagonistas mais uma vez seguiu de carro para o estádio e saíram usando suas roupas personalizados feitas por Carone e outras que compraram: Jey estava com um sobretudo vermelho cheio de símbolos e chapéu de aba larga, Ran tinha um casaco preto de couro com uma lua nas costas, Doc estava usando o capacete militar e uma camisa escrita 3D, Conde com terno preto e gravata vermelha carmesim e Star está com um vestido preto e roxo com uma estrela branca no busto e um chapéu de bruxa bem característico.

Eles foram andando juntos como se estivessem em câmera lenta tocando uma música tema épica como aquela da Liga da Justiça, então perceberam que não estavam chamando atenção de ninguém e andaram normalmente.

Ran: Meu Deus, me sinto ridícula… Pareço uma personagem de vídeo game!
Jey: Spoiler.
Ran: Hã?
Jey: Heim?

Ele se fez de desentendido e seguiram em frente passando por um trio de demônios de terno, os mesmos que ainda procuram Jey.

Ziggy: É ele não é? O ripper que tá atrapalhando nossos negócios.
Ozzy: Sinceramente, eu nem lembrava que a gente veio caçar um cara.
Dante: Já sabem o plano rapazes.

Os dois confirmam com a cabeça e desaparecem como fumaça, deixando o mafioso vermelho encostado na parede observando as outras pessoas e vê um morto-vivo esquelético sem cabeça conversando com uma garota de pele escura coberta por faixas, Dante decidiu ouvir a conversa.

Cleo: Acha que isso vai mesmo funcionar Jack?
Jack: Acredite em mim, vai dar tudo certo. Pode me chamar de “Jack Halloween”.
Cleo: Huhuhum, seu bobo. Te vejo depois do trabalho ok?
Jack: Certo.

Ele coloca a abóbora no lugar da cabeça e veste a capa de pano por cima das vestes comuns, ela tapa o rosto com as faixas igual uma máscara de médico e ambos vão para direções diferentes.

Jack: (Eu vou vencer esse torneio e recuperar a honra do minha família!)
Cleo: (Eu vou garantir que todos fiquem bem, não importa o quão grave seja!)

Dante esperou Jack passar por ele e sentiu o poder latente na alma do morto vivo, então tentado a tomar para si este poder, ele deu o comando.

Dante: Agora rapazes!

A fumaça ao redor dele tomou forma e densidade, agarraram Jack e o levaram para fora do estádio onde poderiam eliminar ele antes da próxima luta e Dante tomaria seu lugar.

Ziggy e Ozzy deixaram Jack surpreso e recuado contra a parede em um beco, na esquerda ele viu o imp de cabelos longos e óculos escuros vestido todo de preto e na direita o incubus maquiado de terno branco e cabelo laranja espetado.

Ozzy: Esse não é o cara que a gente tava procurando. Já vi que isso aqui não vai funcionar.

Ele disse largando a faca ao ver o corpo sem carne do morto vivo, então o seu amigo lhe entregou um taco de baseball.

Ziggy: Usa isto.
Ozzy: De onde tirou isso?
Ziggy: Tá de brincadeira Ozzy? É óbvio que foi do…

Os cinco dedos mortos de Jack colidiram com o rosto do incubus na forma de um doloroso soco.
Não me pergunte como alguém sem músculos se move e soca tão forte, isso só funciona.

Ozzy: Eita!
Jack: Eu não sou nenhum idiota pra ficar esperando vocês conversarem.

Jack socou na direção de Ozzy, mas esse se inclinou para trás e apoiou as mãos no chão fazendo uma “ponte” para então impulsionar os pés para cima tentando chutar Jack, mas acertou Ziggy que veio devolver o soco de antes.

Ozzy: Sprum! Sai da minha frente seu trapalas!
Ziggy: Grr…

Os olhos de Ziggy brilharam como estrelas negras de tamanhos diferentes, Jack se afastou pulando pra trás e viu o demônio se embebedando de poder com um olho mais brilhante que o outro, o seu amigo sabe que fez merda e ajusta o óculos escuros meio nervoso.

Ozzy: Ops… Foi mau…

Ziggy ataca com o punho emanando uma luz negra como seus olhos, porém mirou Ozzy invés de Jack e foi parado por uma mão vermelha, olhando para o lado viu o rosto de Dante com um dedo perto do rosto fazendo um gesto negativo.

Dante: tsc tsc Fracamente, se quer algo bem feito, faça você mesmo.

Ele quebrou os dedos de Ziggy e largou ele gritando de dor, longo em seguida puxou Ozzy com se o segurasse com uma mão invisível e o atirou na parede.

Dante: Sou Dante de Corona. Qual é seu nome?
Jack: Notin.

Dante pega a faca no bolso disfarçadamente, mas também não nota a areia no chão se movendo em um local sem vento. O demônio se aproxima tentando usar sua lábia para manter Jack concentrado em uma mão e não na outra.

Dante: Nontin de que? Se me permite perguntar.
Jack: Nontin Teressa

Os grãos de areia formaram uma armadilha para prender o demônio, o cegando e sufocando.

Dante: (Areia?! De onde veio isso?!)

Dante agiu instintivamente ao se transformar em fumaça para escapar da areia, porém Jack viu os outros dois usarem isso antes e estendeu a mão rapidamente comandando a areia pra formar uma rocha pontuda de arenito onde Dante iria se materializar.

Dante percebeu e recuou mais antes de voltar ao normal, porém Jack aproveitou a chance para usar os aliados do seu inimigo como reféns os prendendo em um fluxo de areia mantido com sua mão direita paralela ao chão.

Jack: Mais um passo e mato eles.
Dante: Você tá blefando…
Jack: Será que estou?

Ele fez um movimento com os dedos da mão esquerda e uma janela de vidro se quebrou fazendo um pedaço voar na direção do pescoço de Ozzy e parando a centímetros.

Dante: …!

Jack fez o vidro flutuar até sua mão e segurou sem medo de se cortar, afinal são apenas ossos que estão segurando o vidro.

Jack: Aprendi com um amigo mago que você tem sempre que manter o demônio preso e com sua faca apontada pra ele antes de negociar.
Dante: Que droga! Devíam ter matado aquele maldito rei humano antes que ele ensinasse outros!
Jack: Agora que tenho vocês sobre controle, vamos conversar…
Dante: Não pensa que é tão fácil assim!

Dante moveu a mão direita para cima rapidamente e Jack sentiu o impacto no seu braço jogando o pedaço de vidro para o alto surpreso.

Dante não revela à Jack qual é a natureza de seu poder, mas este suspeita que seja algum tipo de psicocinese. Na verdade, é uma projeção psíquica da mão de Dante, o que ele fizer com a verdadeira, o constructo invisível fará também.

Jack: Parece que ambos precisamos usar as mãos para lutar a distância.
Dante: (Ele já entendeu como funciona meu psycho? Não, deve pensar que controlei ar ou algo assim.)

Dante parte para frente em uma investida, então Jack puxa o demônio desacordado com a areia para servir de escudo, mas Dante sabia que ele usaria o refem então virou fumaça na hora e deu volta para pegar Jack por trás com um chute na coluna que o derrubou.

Perdendo a concentração, Jack soltou os outros dois.

Ziggy: Ai… Tem areia em lugares que ninguém jamais foi… E olha que muita gente já esteve em muitos partes…
Dante: Pegue Ozzy e vaza daqui. Encontrem nosso objetivo principal.
Jack: (Objetivo?)

Antes de Jack agir, o incubo desaparece junto do imp desacordado. Dante atira a faca em Jack, mas apenas atravessou o pano que ele veste. Ele sabe que talvez ainda haja partes com carne em Jack e este seria seu ponto fraco, por isso mirou no local onde poderia acertar o coração ou um dos pulmões.

Jack: Kekekeke como eu planejava?

O pano é justamente para fazer acreditar que quer proteger seu tórax, mas na verdade seu ponto fraco é a cabeça que está guardada e protegida enquanto sua consciência está nesta abóbora enfeitiçada.

Dante: Você é um maldito Lich?!
Jack: Lich? Não… Eu sou bem pior do que isso!!

Ele lança uma lâmina curva feita de areia na direção de Dante e o demônio para sua mão na frente pretendendo defender com seu psycho.

—Corte trollando o leitor para deixar ansioso—

E enquanto esta luta entre o morto vivo e o demônio acontece, Doc se prepara para entrar na arena.

Doc: Vocês têm mais experiência lutando do que eu. Alguma dica?
Jey: Não morre.
Ran: Uau, que dica incrível!
Jey: Isso é sarcasmo né?
Ran: Não.

Jey inclina a cabeça em uma expressão confusa e Ran ri dele.

Ran: É bom deixar os outros confusos né?

Ela e Carone fazem um “toca aqui”, no dia anterior Carone contou que Jey não entende bem sarcasmo e planejaram essa pequena vingança.

Doc: É… Galera, minha luta, dicas…
Carone: Desculpa Doc, ele merecia hahahaha! Enfim, essas são minhas dicas: usa seus poderes pra atacar de longe e entrar e sair de combate rápido.
Doc: Certo.
Jey: Usa seu modo, Absorção, pra se defender. Sei lá, faz tuas sombras engolirem os poderes e tiros dos outros.
Doc: Boa idéia!
Ran: Eu sou novata também, mas quando entro numa briga, vou com tudo. Se te baterem, bate mais forte.

Doc sorriu e confirmou com a cabeça sem dizer que essa dica não ajudou.

Star: Economiza sua energia com os primeiros, deixa eles se enfraquecerem e pega o mais forte com tudo no final.
Doc: Oh, é mesmo! Eu vi Jey e Ran lutando e…

Os dois olharam com olhares ameaçadores.

Doc: …Foram incríveis!
Conde: Não deixa te encurralarem, tenha sempre uma rota de fuga.
Doc: Obrigado pessoal!

Se Doc tivesse olhos, estariam brilhando de alegria agora. Com as dicas dos seus amigos, ele ficou mais confiante e caminhou em direção a arena.

Jey: Ei Doc!

Jey jogou um pequeno bastão de madeira com uma pedra vermelha amarrada para Doc.

Doc: Isso é uma varinha? Eu não sei usar magia.
Jey: Relaxa, tu vai descobrir na hora que usar.

Doc sorriu confiante e confirmou com a cabeça.

Capitulo 37 – O Segredo da Guilda

Dentro da sala nos fundos da guilda haviam vários quadros de um draconiano pirata de escamas vermelhas e olhos amarelos, o cabelo era longo e seu olhar imponente dava medo mesmo sendo uma pintura.

“Assinem aqui. Precisamos disso porque a missão é secreta.”

Nossa! Parece até algo do governo como se fossemos espiões ou algo assim!
Nós assinamos, não havia nada para ler no papel além de “acordo de segredo”.

“Isso é para garantir que não vão revelar nosso segredo até que a missão seja concluída.”
“O que acontece se um de nós contar?”

A pausa que a elfa fez olhando para Goetia após a menina perguntar me deixou preocupada.

“Todos vocês vão morrer.”
“Que?!”
“Tivemos que fazer isso, o último que descobriu meu segredo achou engraçado e foi correndo contar pra Guilda inteira.”

A draconiana suspirou, nem imagino o que pode ser tão problemático assim pra por nossa vida em risco.

“É… Agora que já assinamos, qual é o segredo?”

Maggie sua burra! Por que estou perguntando isso?! Eu deveria ir em embora sem saber!

“Pensando bem, eu…”
“Sou amaldiçoado.”

Ok, ela vai contar agora…

“Com licença, mas isto já está me incomodando. Vocês estão errando algumas palavras da língua comum.”
“Se me deixa terminar vai entender seu coelho magrelo!”

As orelhas longas de Zefferi se mexeram demonstrando que ele se incomodou com a ofensa.

“Eu fui amaldiçoado por uma bruxa do mar. Ela me transformou nessa forma!”

O olhar de dragão dela era exatamente igual ao do quadro, então entendi o que ela/ele quis dizer!

“Meu nome verdadeiro é Karinus”
“Mas podem chamar de Karin agora.”

Ela olhou furiosa para Eliza, mas a elfa não se abala.

“Eu era um capitão muito temido nesses mares há alguns anos atrás…”
“cof cof Exagero”

Eu acho que pude ver uma veia saltar na pele escamada quando a elfa falou com uma tosse falsa.

“Tá! Eu ainda não era famoso, mas seria se não fosse aquela desgraçada.”
“Como é uma bruxa do mar?”
“Parecida com sua amiga sacerdotisa do rio, só que maior e muito mais poderosa.”
“E bem… Eu nunca resisti a garotas grandes… Mas parece que a bruxa não entendeu meus elogios.”
“Você encheu a cara de rum e falou um monte de coisas pervertidas. É por isso que ela te transformou numa garota, pra você aprender como é.”
“Uau, então ela era um cara?”

Um breve silêncio constrangedor quando todos olhando para Alice com expressões de surpresa ou levando a mão ao rosto.

“Sim. Só agora ela percebeu.”

Eu confirmei quebrando o silêncio.

“Dizem que peixe é bom para o cérebro, mas ela não me parece muito esperta.”
“Eu não preciso ser inteligente se eu sou maravilhosamente linda.”
“Que?”

Eu olhei para as duas negando com a cabeça.
Não discutam com ela, só vai piorar as coisas.

“Senhor ou senhora, você quer que encontremos a Bruxa do Mar?”
“Não Klein, matar a bruxa não resolve nada. Precisamos achar um objeto que quebre a maldição ou algum clérigo poderoso.”

Goetia pegou um livro de sua bolsa e folheou um pouco, então ela mostrou para o Zefferi.

“É claro! Isso pode funcionar!”
“O que Zeff?”
“O Anel do Vazio. Um artefato que anula toda influência mágica sobre o portador.”
“Isso inclui maldições, mas você se tornaria incapaz de usar magia.”

Vemos o sorriso no rosto da draconiana ao ouvir Goetia dizer que o anel pode quebrar a maldição e a tornar imune a magia.

“Até mesmo seu fogo.”

Ela fez uma expressão surpresa, então pareceu pensativa. Escolher entre o fogo dos dragões e retornar à sua verdadeira forma não deve ser fácil.

“Certo. Se vocês acharem esse anel, eu prometo que nada vai faltar enquanto forem membros da Guilda.”
“Entendido! Vamos achar esse anel!”

Klein é bastante animado mesmo, o tipo de empolgação que contagia.
O problema é: Nem sabemos por onde começar a procurar.

Voltamos a nossa atual “base de operações”, a primeira ideia que tive foi pedir a Alice para ela encontrar esse tal anel com a habilidade única dela.

“A voz diz ‘Fora de Alcance’. Acho que tenho um limite de distância de até onde posso achar coisas.”

Logo quando pensei que você poderia ser útil…

Decidimos nos dividir em duplas e procurar pela cidade, os goblins poderiam causar problemas então mandei ficarem. Tiramos no palito para ver quem teria que ficar com Alice, infelizmente fui eu.

“Por que tiraram na sorte pra quem ia ficar comigo?”

Contar a verdade ou não magoar ela? Eis a questão.

“Foi para… Decidir quem teria a honra de te acompanhar.”

Estou ficando boa em [Mentir], mas não é uma habilidade que estou upando porque quero. Após isso nós almoçamos e partimos a procura de informações sobre o anel, eu e Alice decidimos perguntar no mercado.

“Com licença senhor, você já ouviu falar do Anel do Vazio?”
“Isso é o novo culto da moda? Como o Círculo do Nada?”
“Não, é um artefato e…”
“Não estou interessado!”

O draconiano vendedor ambulante continuou seu caminho e ignorou minha tentativa de explicar. Alice também não teve sorte perguntando para o dono da barraca ali perto.

“Aquele homem de chapéu e capa parece saber de alguma coisa.”
“Hum? Como sabe Alice?”
“Ele tá encostado na parede olhando a gente com um olhar de peixe morto faz tempo.”

Percebendo que nós o vimos, ele olhou para outro lado repentinamente. É um svaltálf com uma cicatriz no olho direito. Nos aproximamos e ele afastou o sobretudo mostrando uma garrucha com um cristal incrustado, Alice se afastou assustada e eu continuei andando fazendo a magia verde aparecer em minha mão.

“Quem é você?”
“Eu tenho muitos nomes.”

Já que não quer contar, Análise nele!
[ Erro! Indivíduo não identificável. Forma de vida exterior não classificado. ]

“Morte? É você?”
“Não. Mas podem me chamar de serpente.”

Ele fez aparecer uma maçã dourada em sua mão, estava escrito algo em outra língua nela.

“V-Você é o diabo?”

Ele riu alto e olhou para Alice.

“Não, longe disso. Eu sou apenas um aventureiro viajante cujo o nome não quero revelar.”

Ele se vira para uma parede qualquer e parece estar olhando para alguém além de nós duas.

“Mas tenho certeza que você já me conhece.”
“Senhor Serpente. Você sabe algo sobre o Anel do Vazio?”
“Sim. Sei que devem ficar longe disso.”
“É perigoso?”
“Sim, muito. Te prometem poder e desejos, mas na verdade te ferram.”

Eu engoli a seco, mas talvez ele só queira me assustar para ter o anel só pra ele…

“Não pense mal de mim novata, já passei por muitas coisas e sei como ele age. Minha companheira encontrou um dos dez anéis e isso a levou a ruina.”
“Dez?”
“Ops, falei demais não é mesmo?”

O homem desapareceu na nossa frente, não sei se teleportou ou ficou invisível, ele simplesmente desapareceu.

“Olha, ele deixou um papel!”

Eu peguei o papel, estava escrito “Hermes, Thot, Loki, Flash -> J” e o desenho de um Mestre Yoda de óculos escuros fazendo um dab.
Eu não faço a mais mínima ideia do que isso quer dizer, então usei Análise para tentar descobrir.
[ Papel ]
Estou vendo que é um papel! Não tem mais nada a acrescentar?
[ Tinta ]
Eu desisto. Com certeza isso está me zoando.

“Eu acho que isso é uma pista Maggie.”
“Sim. E seja quem for, ele com certeza é um Renascido como nós.”

Eu lembro que Hermes era de alguma mitologia, então decidi ir até a biblioteca, o jovem draconiano assistente da bibliotecária nos levou até os livros de história e religião. Alice dormiu de tédio, mas eu li por horas sem achar nada sobre esses nomes até que finalmente achei algo que não deveria estar ali.

“Uma história em quadrinhos?!”

Eu abri a história em quadrinhos, falava sobre uma heroína com o poder do deus grego Hermes e o egípcio Thot.

“Alice acorda! Eu achei uma coisa!”
“Hã? Hein?”

Mostrei pra ela, ela folheou sem prestar muita atenção e acabou derrubando outro papel.

“Gaia, Tiamat, Pacha Mama, Inara ~> M” era o que estava escrito, dessa vez com um escorpião preto e branco entre duas árvores.

“Outra pista! De nada Maggie.”
“É… Certo… Obrigado.”

Obrigado por ter feito praticamente nada. Decidimos procurar Zefferi e Goetia, eles provavelmente sabem mais.

Estou determinada!
Eu vou encontrar esse anel e concluir nossa quest, não me importa quantas coisas estranhas aconteçam!

Capitulo 36 – A Guilda De Aventureiros

No dia seguinte fomos a guilda de aventureiros, mas no caminho andando pelo mercado acabei ouvindo uma conversa que me chamou a atenção.

“…a profecia está se cumprindo, um asura foi morto.”
“Soube que foi uma mulher do Norte.”
“Impossível! Só têm dríades, fadas e goblins lá!”

Eu finjo uma tosse e os 3 draconianos viram eu e Klein, então foram embora sabendo que nos ofenderam aos nos subestimar.

“Aqui está, é nesse prédio que fica a guilda.”
“Obrigado Zeff”

Eu fui pra frente e abri as portas do prédio de madeira e pedra com toda empolgação, mas o que encontrei foi um monte de bêbados comendo, dormindo, rindo e brigando. Uma caneca voou na minha direção, me abaixei, mas acertou Klein na testa.

“Tudo bem?”
“Sim, nem doeu!”

Ele deu batidinhas na testa pra demonstrar que está bem por ser cabeça dura e fez um som estranhamente parecido com um coco oco.

“Ei, vocês são novatos?”
“É…”

Foi um draconiano com tapa-olho e cabelo ruivo que perguntou. Os outros pararam o que estavam fazendo e olharam para nós.

“Mais ou menos…”

Eles comemoram rindo, berrando e levantado as canecas. Eu não sei o que tá acontecendo, mas eles tão muito felizes!

“Novos aventureiros são sempre bem vindos, mas não me lembrava de ser tão animado assim.”
“Quando você se registrou Zeff?”
“170 anos atrás.”
“Você é um velho?!”
“Alice, já disse que só tenho 200 anos.”

OK, tenho que achar logo a personagem sexy clichê pra me registrar e sair daqui!
Procuro o balcão no meio da confusão e vejo um braço feminino acenando acima das cabeças escamosas, então ando na direção dela mas acabo dando de cara com um homenzinho, acho que é um gnomo, dançando na mesa com o braço de uma garota zumbi.

“Quem é baixinho agora?! Quem é baixinho agora?!”
“Tá! Tá! Me devolve seu rato!”

Eu suspiro e volto a procurar, então vejo a bancada de madeira com um baixinho barbudo dormindo com uma caneca ao lado de uma draconiana bonita entediada divagando com a cabeça apoiada sobre a mão com o cotovelo sobre a bancada.
Certeza que é ela.

“Com licença, é aqui que nos registramos como aventureiros?”
“Hã? Ah. Sim, vou chamar a Eliza.”

Eu chamei meus amigos enquanto ela foi até os fundos por uma porta de madeira e voltou com uma elfa bem esbelta com um vestido verde. Pude ver que a porta de madeira dava pra ver a cozinha através de uma abertura quadrada e há vários vidros de bebidas dispostas na prateleira da parede.

“Oi, eu… Hey, você é aquele cara!”

A elfa apontou para Zefferi.

“Sim, sou Zefferi filho de…”
“…O cara dos livros de bichos!”
“É… Isso… Cara dos livros de bichos… Estou pesquisando… Pro volume 2…”

Tadinho do Zeff, nem todo mundo reconhece o trabalho de um cientista.

“Talvez devesse escrever sobre assuntos polêmicos Zefferi.”
“Não vou me rebaixar a fazer livretos sobre tornozelos Alice.”

Isso é o mais polêmico que ele consegue pensar?
Eu acho que os elfos são mais “certinhos” que humanos ou a época em que Zefferi vivia era assim.

“Bem, deixe me apresentar corretamente. Sou Eliza filha de Norihil.”

Por que eles dizem que são filhos de alguém?
[ Resposta: Muitas linhagens de elfos utilizam nomes patronímicos, mas não são todos. Exemplo: Myriatrir Szalbardóttir ]
Ah tá, acho que já ouvi falar osso sobre algum país do meu antigo mundo.

“Senhorita, vocês querem entrar para nossa guilda?”
“Sim, preciso de algo pra isso?”
“Se não souber escrever, podemos usar magia de sangue.”
“Que bom que sei escrever, porque não tenho sangue.”

Eu ri e a draconiana virou os olhos suspirando.

“Nem me fale, é por isso que eu odeio registrar druidas.”

Agora que percebi, ninguém nunca me ensinou a falar ou ler a língua desse mundo, eu aprendi sozinha sem explicação.
Análise, como isso é possível?
[ Magia. ]
Tenho a impressão de que você não sabe ou não têm uma resposta decente…
[ Você perguntou como é possível, não como acontece ]
Depois a gente conversa…

“Aqui está a ficha de inscrição para aventureiros.”

Ela entregou os papéis para nós, por algum motivo acho que já vi esse documento antes.
Peguei a pena para escrever e notei que a tinta têm uma energia emanando, acho que foi encantada por algum motivo.

“Essa tinta é mágica?”
“Têm um encantamento para fazer as informações no papel serem atualizadas conforme você aumentar seu nível e também fica vermelha caso você escreva uma mentira.”
“Uau! Então têm magias além daquelas elementais?”
“Nunca vi nada assim, mesmo na dungeon do meu pai.”

Eliza parece orgulhosa, acho que ela criou essa magia.

“Para de inflar o ego sua tábua. Você comprou isso de um svaltálf viajante.”

“Ei! Não precisa falar isso!”
“O que você não têm de tamanho aqui em cima, têm de ego.”
“Pelo menos os meus são verdadeiros, sua lagartixa!”

As duas tão discutindo na nossa frente e o pessoal da guilda parece estar acostumado com isso, estão até fazendo apostas. 

“Ei! Já falamos que não falamos sobre isso!”

Alice cochichou no meu ouvido.

“Acha que existe plástica nesse mundo?”
“Deve ser algum feitiço”
“Se for mesmo, quero aprender”
“Mas você não precisa de… Esquece, faz o que quiser.”

Eu terminei de escrever minha ficha com os outros enquanto as duas brigavam na minha frente e as pessoas ao redor cantando, gritando e rindo mantinham o clima caótico porém animado.

“Terminei minha ficha.”

Nesse momento eu me lembrei!
Agora eu vejo, agora eu entendi!
Agora tudo faz sentido!
É idêntica a ficha de personagens que usava pra jogar com meu irmão e os amigos dele!

“Magneria Hiska? É mesmo seu nome?”
“Não ficou vermelho escamoso.”
“E o que te garante que isso funciona 100% orelhuda?!”

A draconiana falou soltando fogo e quase queimou os papéis e eu! Se eu não tivesse me afastado na hora poderia virar carvão!

“É meu nome mesmo! Eu não menti em nada, eu juro!”

Mas também não escrevi os títulos e todas habilidades que tenho porque não quero parecer OP e chamar atenção demais.

“Vocês podem pegar sua primeira missão no quadro da guilda ou podem fazer a missão secreta especial.”

Alice e Klein apareceram do meu lado assim que ouviram “Missão Secreta Especial”.

“Qual é a missão?”
” Qual é a recompensa?”
“Venham pros fundos com a gente”
“Nós contamos pra vocês num lugar mais seguro”

Goetia olhou pra eles com desgosto e desdém, eu já tô acostumada com esse aspirante a herói e essa garota gananciosa e vaidosa. Nós 5 seguimos as duas garotas da guilda pros fundos, passando pela cozinha e indo por um corredor.

“Alice, você agrada 2 dos 7 lordes.”
“Obrigado Go-chan!”
“Isso quer dizer que 2 lordes demônios gostam de você.”
“Eh?!”

Se fosse comigo já teria dado ruim, mas com ela nada acontece…

Chegamos aos fundos da guilda e lá dentro tinha vários quadros de um draconiano pirata.

Não sendo uma heroína em outro mundo, capítulo 9.

Chuva

Segundo os livros, a chuva é um fenômeno meteriologico que resulta da precipitação das gotas líquidas ou sólidas da água das nuvens sobre a superfície da Terra.

Já em outras culturas, a chuva pode simboliza a fertilidade e a purificação na medida que representa o símbolo das influências terrestres que renovam as vidas na terra.

Para mim é so água mesmo. Caindo, sem preocupações, segundo a força maior sem lutar ou questionar.

Eu estou aqui, em baixo de uma árvore, esperando essa mesma chuva acabar, comendo uma carne assada. 

Enquanto eu como e espero, eu me lembro da enorme reviravolta que a minha vida teve, eu vim para outro mundo, me tornei um personagem OP, virei uma aventureira…

Mas a coisa mais surpreendente aconteceu enquanto eu estava dormindo. Um espírito de muito tempo atrás veio falar comigo. 

[-Antes dela sair de Arcus-]

Nita: “Como assim? Hospedeira?”

Hm, parece que eu vou ter de explicar novamente. Eu era conhecido como-

“Não, isso eu entendi, mas como assim ‘Calamidade’ e ‘Destruir o mundo’.”

Como eu tinha dito antes, eu sou o Espírito da Calamidade.

“Sim”

E você é a minha hospedeira.

“Sim”

E que agora o trabalho de destruir o mundo é seu.

“Não! Eu não quero fazer isso”

Ah. Então tá bom.

“… Que?”

Sabe vidas humanas são curtas, eu posso esperar você morrer e depois procurar outro.

“…”

“Você… não vai embora né?”


Não vou. Nem se eu quisesse.

“Porque?”

Estava contando que você aceitaria esse poder, mas você é igual aos outros. Eu me liguei a sua essência, não vou embora quando você morrer.

“Essência?”

Sim, quando você foi enviada para esse mundo o seu corpo foi transformado em essência para facilitar a passagem, nesse momento eu entrei nessa essência e me fundi com o seu corpo.

“E você não pode ir embora?”

Não, não se preocupe, eu vou ficar aqui e esperar uns… 60, 70 anos? Quem liga, vai passar rápido mesmo.
[-De volta ao presente-]

Aquilo realmente me surpreendeu, mesmo eu achando que foi um sonho, hm? Ah! A chuva está parando, hora de ir.

Faz dois dias que eu sai da cidade de Arcus, eu estou agora no caminho para a vila de Kalas onde eles fazem um tipo único de bebida com frutas.

Algumas coisas aconteceram nesse tempo, primeiro eu consegui uma nova espada

[Espada de Prata mágico]

Dur: 200

Atk: +30

Mp +10 quando em mãos.

Minhas outras armas estão guardadas no meu corpo pela habilidade “Absorver” que eu ganhei daquele slime que por acaso pode também guardar itens. É bem útil.
Eu comprei uma bolsa de viagem, para não parecer que eu tiro os itens do nada e levantar suspeita.

Outras habilidades que eu ganhei também são uteis. 

“Asas(Morcego)” transforma os meus braços em asas iguais as de um morcego, eu também posso criar essas asas nas minhas costas por um custo adicionar de stamina. 

“Teia” permite que eu crie teia de aranha das palmas das minhas mãos, essa teia é bem resistente e leve, e pode ser vendida por um bom preço como material para costura. 

“Garras” faz as minhas unhas ficarem longas, mas se eu combinar “Garras” com “Exoesqueleto” as minhas mãos inteiras se tornam algo igual as luvas de uma armadura só que com garras. 

“Absorver” é exatamente como eu disse, eu também posso recuperar hp e sp absorvendo e digerindo certos itens, eu também posso comer usando essa habilidade. Isso pode parecer estranho mas é infinitamente útil para mim.

Não há nada de mais especial nas outras habilidades que eu obtive na dungeon exeto “Membros”, eu até consigo ativar essa mas tem um problema, eu não consigo controlar os bracos extras sem me concentrar neles, segundo o Tutorial eu preciso de uma outra habilidade para isso funcionar.

Oh, a chuva parou.

-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-

Está anoitecendo, eu devo armar uma cama e procurar algo para eu comer, mas é tão simples.

Eu uso a teia para fazer uma barraca e uso a visão térmica para achar algo que eu possa cozinhar.

Quando eu termino, eu já tenho uma barraca que cabe 10 pessoas e um javali que eu matei, eu fiz uma fogueira e asei a carne do javali que eu comi com umas frutas não perigosas.

Desse javali eu ganhei fortificar mas já que eu já tinha não fez diferença.

(Calamidade? Você está ai?)


A qualquer momento.

(O que você quiz dizer com poderes antes?)

Ser o meu hospedeiro tem vantagens, você ganha uma ampla gama de habilidades, magias e até imortalidade em níveis maiores.
(Isso parece ser tentador, mas não.)

Tsk!

Depois disso eu fui dormir e incrivelmente nenhum monstro me incomodou durante a noite.

-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-

Na manhã seguinte eu continuei seguindo o meu caminho quando eu vi um cara com uma carroça cercado por goblins, já que eu estava querendo informações eu decidi ajudá-lo.

Eu lentamente chegei por trás de um goblins e acertei ele com a minha espada, quando ele gritou de dor os outros me perceberam e assim começou uma luta.
Eu desviava e acertava os goblins ao mesmo tempo enquanto o homen lidava com um sozinho, quando a luta acabou ele veio me agradecer.

Homen: “O-Obrigado”

Nita: “Ah, não foi nada”

Homen: “Não, eu tenho que lhe agradecer. A propósito meu nome é Cilas.”

Enquanto me agradecia ele se apresentou para mim, um mercador ambulante de meia idade sem nada de impressionante.

Cilas: “Tem algo que eu possa fazer?”

Hm, acho que eu posso pedir dinheiro a ele, uma carona também seria bom.

Nita: “Você pode me levar para a vila de Kalas?”

Cilas: “Oh sim, mas que sorte, eu estava indo fazer negócios lá.”

Hm, que conveniente. há?

Nita: “Me desculpe perguntar, mas tem alguém com você ali?”

Cilas: “…”

Ele está nervoso, a carroça dele tem um tipo de teto que cobre as laterais então deveria ser difícil ver o que está dentro.

Cilas: “N-não tem ninguém lá…”

Nita: “Ei! Você na carroça, saia.”

Da parte de trás da carroça veio uma menina, com talvez 10 ou 12 anos, com um capuz cobrindo a cabeça e a maior parte do rosto dela.

Cilas: “K-Kalia… Erm, bem essa é Kalia, a filha de um falecido amigo que agora vive comigo.”

Ela se esconde de mim, provocando achando que eu sou alguém ruim, eu tento chegar perto dela mas ela corre até Cilas se escondendo atrás dele.

Cilas: “Kalia, essa é Nita, ela acabou de nos salvar, agradeça a ela.”

Kalia: “…”

Cilas: “Desculpe, ela fica nervosa quando fala com pessoas que ela não conhece.”

Ela é so uma criança, acho que é bom eu tentar fazer uma boa primeira impressão.

Cilas: “… você disse que queria ir para a vila de Kalas não é? Suba!”

Ele entrou na carroça junto com a Kalia, e subi logo em seguida, ele balançou as redias e os cavalos começaram a andar.

Durante essa pequena viagem, eu tentei falar com a Kalia, mas ela não falou nada.

Após 3 horas eu acho, Cilas parou os cavalos próximo a um rio onde eles poderiam descansar um pouco.

Entre nos ficamos conversando.

Nita: “Cilas, então você é um marcador não é.”

Cilas: “Sim, compro, vendo e troco itens por cidades e vilas, mesmo que eu não tenha feito muitos negócios recentemente. Mas é você?”

Nita: “Eu? Eu sou só uma aventureira viajante, estou querendo ver esse mundo com os meus próprios olhos, andar por uns lugares, talvez encontrar o meu lugar no mundo.”

Cilas: “Entendi”

Nita: “Mas e a menina?”

Cilas: “Ah, Kalia, ela cresceu sem a mãe vivendo apenas com o pai dela, recentemente ele faleceu então eu decidi cuidar dela.”

Nita: “Ah, entendo, me desculpe por eu tocar em um assunto tão delicado.”

Cilas: “Não tem problema, já faz um ano que isso aconteceu, nos já superamos isso.”

Os 5 cinco estágios do luto heim? Ela deve ter passado por muitas coisas, até sinto pena dela.

Cilas saiu até a carroça para pegar algo para comermos, então nos duas ficamos aqui sozinhas.

Nita: “Eu sinto muito pelo que aconteceu.”

Kalia: “…”

Nita: “Eu quero ser a sua amiga. Eu entendo como é ser sozinha.”

Kalia: “…”

Nita: “Vamos menininha-”

Kalia: “CALA A BOCA SUA IDIOTA DO CARALHO, NINGUÉM ME CHAMA DE MENININHA ASSIM!!!!!”

!?!?!?!?

Ela tapou a boca logo apos dizer isso. O jeito que ela se levantou fez o capuz dela cair revelando duas orelhas de lobo no topo da cabeça dela. Onde ela aprendeu esse palavrão? Mas não pode ser… Será?

Nita: “Poderia ser que… Smartphone!”

Kalia: “?!?!? … I-IPhone!”

Nita: “Você…”

Kalia: “É do…”

Nita & Kalia: “Você é do meu mundo!!!”

Não sendo uma heroína em outro mundo, capítulo 8.

O corpo do Slime lentamente derrete enquanto a lamina do “Impaler” desaparece, o núcleo do Slime fica despedaçado no chão, eu fico olhando para os restos do Slime até que percebo dos meus “companheiros” inconsistentes.

Eu vou até eles, ótimo, nenhum morto, só inconscientes, hm… O braço da Orin foi destroçado depois daquele golpe que ela levou.

Jan: “Ah…”
Parece que o Jan acordou. Ele olha de confuso para mim.

Jan: “O que aconteceu…? Depois que eu cai…”

Nita: “erm… A Orin me deu a chance de acabar com o slime.” (eu sei, não sei mentir)

Jan: “aa…”

Nita: “Consegue andar?”

Jan: “Sim, só estou tonto.”

Nita: “Me ajude com elas, eu acho que a Orin se machucou.”

Jan: “Sim, cuide da Arey”

Jan foi até a Orin enquanto eu foi até a Arey.

Arey: *Ronco* “hm…”

Por sorte, ela está dormindo, eu levando ela e a carrego no meu ombro, eu não posso sair levantando ela de qualquer jeito.

*Som de porta*

Josia: “Ha? Alguém entrou antez de noz?” {Não é o nome dele, só zoera}

2: “Chefe, acho que eles precisam de nossa ajuda”

Irineu: “Homens vamos, temos aventureiros precisando de ajuda”

1,2 & 3: “Sim!!!”

Da porta entraram 5 homens, todos aparentam ser aventureiros, o que parece ser o lider dele chega até mim.

Irineu: “Vocês estão bem? O que aconteceu.”

Jan: “Nos enfrentamos um Slime gigante, minha amiga aqui está com o braço fraturado, precisamos levar ela até alguém que use magia de cura”

Josia: “Devem ter magoz brancoz na entrada, chefe, e agora?”

Irineu: “Vamos ajudá-los. Não se preocupem, vamos levar vocês até a entrada.”

Um dos aventureiros pegaram a Arey e a carregaram.

Que conveniente, não esperava que alguém fosse vir DEPOIS que eu matar o Boss.

Jan: “Nita, pegue os restos do núcleo do Slime.”

Nita: “Porque?”

Jan: “É um item mgico raro, também vai ser importante depois quando reportamos isso a guilda.”

Nita: “Entendido.”

Eu vou e pego o núcleo do Slime, que contrariando as minhas expectativas não era esponjoso mas sim duro como uma pedra.

Nos seguimos os aventureiros, mas eu não deixo de desconfiar dele, o timing foi muito certo para ser uma coincidência.
Na entrada, eu e Jan deixamos a Orin em um tipo de enfermaria em uma tenda e esperamos, nesse meio tempo a Arey acordou, foi complicado explicar para ela o que tinha acontecido.

Então um dos magos que estavam cuidando do braço da Orin nos chamou, na tenda ela já tinha acordado.

Lá dentro, o outro mago está com mas mãos sobre o braço dela, as mãos dele estavam brilhando com uma luz verde que se espalhava pelo corpo dela.

Orin: “O que aconteceu?”

Nita: “Quando você foi jogada eu tive chance de acertar o núcleo do slime, agora estamos aqui.”

Jan: “Você me assustou sabia”

Orin: “Desculpe senhor ‘Não quero nada serio agora’ ”

Então eles são mesmo um casal, a Arey está do meu lado sem entender. Depois de algum tempo, os magos terminam de curar o braço dela, eles enfaixam o braço e dizem para ela não fazer esforço físico até estar totalmente recuperada.

Orin: “Vamos voltar para a guilda.”

Jan: “Melhor não, e o seu braço.”

Orin: “Eu já consigo andar.”

Jan: “Não, nos vamos ficar. Vocês duas vão reportar o aparecimento do Slime para a guilda. Nita já está com os pedaços do núcleo dele.”

Arey: “Vocês vão ficar bem sem nós?”

Jan: “Parecemos crianças para você? Quando a Orin melhorar nos iremos no primeiro transporte que tiver.”

Nita: “Arey vamos logo…”

Arey: “Tá”

Caramba, isso foi tipo as novelas da rede globo, só que medieval. Eu e a Arey chegamos na guilda durante a tarde. Lá eu entreguei um pedaço do núcleo e reportamos os acontecimentos, a atendente que falou conosco anotou tudo que eu disso sobre o slime e depois disse que vai nos compensar em dinheiro pela informação quando um grupo confirmar o Slime.

Após isso, Jan e Orin chegaram, Orin já estava melhor com o seu braço todo enfaixado, mas não todo retorcido como antes. Mas Jan estava com um rosto cansado, eles realmente brigaram depois que saimos.

Eu peço um almoço e todos comemos, ignorando  o que aconteceu hoje, mas antes que eu pudesse dar uma mordida na minha carne uma atendente veio.

Atendente: “Qual de vocês se chama Nita?”

A não, já sei onde isso vai dar.

Arey: “Ela aqui.”

Respondendo a atendente a Arey aponta para mim. Valeu…

Atendente: “O Lider dessa sede da guilda desseja falar com você, em particular.”

Nita: “Eu não posso recusar?”

Atendente: “Não”

Jan: “Deve ser pelo Slime que você derrotou.”

Sim, eu derrotei aquele Boss sozinha e com um único golpe, eles devem ter percebido que eu não sou normal.

-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-

Eu sigo a atendente e ela me leva a uma sala que mais parece um escritório, lá sentado em uma cadeira atrás da mesa, tem um cara que eu só posso descrever sendo um sósia do T*rry Cr*ws, alto, careca e aparentemente musculoso, ele olha para mim com uma cara intimidadora, então ele fala com uma voz muito grave:

Líder: “Sente-se.”

Nita: “S-Sim.”

Eu não sei o que tem de errado comigo, essa é a primeira vez que eu chego perto de alguém com essa aura, todos os meu instintos me dizem para correr mas também dizem que eu vou morrer se eu fizer isso.

Lider: “Então… Você; matou aquele mestre. Aquele mestre que deveria se igualar a uma equipe de 5 aventureiros de nível 20…”

Nita: “S-sim, e-eu-”

Lider: “Você está mentido… Me diga o que aconteceu de verdade.”

Ah não, ah não, ah não!! O que eu faço, O QUE DIABOS EU FAÇO!!! Eu não posso falar a verdade, mas também não posso mentir.

Nita: “N-Não, eu realmente, venci aquele mestre sozinha.”

Líder: “Então me diga como!”

Nita: “E-Eu usei uma técnica que acertou o núcleo do slime, foi a-assim.”

Líder: “Me dê o núcleo, dessejo ver se está falando a verdade.”

Eu tiro os restos do núcleo da minha bolsinha e mostro a ele, o Lider então pega o núcleo e analisa os cortes nele.

Líder: “Hm… Você parece estar falando a verdade… Pegue, vá.”

Ele joga os pedaços do núcleo para mim, e eu sem falar nada-

Lider: “Mas antes de ir, saiba que eu estou de olho em você agora em diante.”

Eu saio da sala e volto correndo para a mesa onde estão os outro, e a minha refeição.

Arey: “Então? Como foi?”

Eu fico em silêncio e começo a comer a minha carne sem responder a ela.

Arey: “Endendi…”

Jan: “Isso é uma reação normal. Eu ouvi falar que o Lider dessa sede da guilda e realmente intimidador e poderoso.”

Enquanto eu como, outra atendente chega, dessa vez com uma sacola cheia de moedas.

Atendente: “Aqui!” *som de muitas moedas* “O dinheiro pela informação do Slime gigante.”

Ela entregou uma sacola com 1000 moedas, nos dividimos o valor, 200 moedas para cada, então agora eu fico com 700 moedas na minha posse.

Arey: “Que ótimo!”

Orin olha para a cara da Arey e depois parao braço dela, então a garota feliz de antes se acalma.

Todos nos conversamos um pouco, até que a Arey toca em um assunto.

Arey: “Nita, o que você planeja fazer agora?”

O que eu planejo fazer agora? Hm, o lider da guilda está na minha cola, eu juntei bastante dinheiro e consegui a maioria das habilidades dos monstros da região, sem falar que eu vou ficar conhecida em breve. Sim, seria uma boa hora para-

Nita: “Acho que eu vou embora dessa cidade.”

Jan Arey e Orin: “Há?”

Arey: “Como assim? Faz apenas uma semana que você está aqui, como pode ir embora?”

Nita: “Sabe, eu não sou alguém que cria laços, desculpe, mas tem coisas que eu quero ver e fazer.”

Sim, realizar as minhas ambições, me tornar forte, explorar, talvez encontrar o meu lugar o qual eu não tinha encontrado no meu mundo, talvez até me tornar um daqueles protagonistas super Overpowered.

Arey: “Eu vou sentir a sua falta…”

Nita: (Eu queria poder dizer o mesmo)

Depois desse conversa, eu vou para mesma pousada de sempre, e me deito na mesma cama de sempre.

Amanhã eu vou embora.

Boa Noite.

-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-
???: “Então?”

“?”

???: “Está Feliz?”

“Quem?”

???: “Está feliz em ser solitária

“Eu sempre fui. Mas quem é você”

Não lhe importa senhorita heroína.

Eu não sou uma heroína.

Hou… Então, quem você é?

Eu sou Nita. Quem é você?

Não tenho um nome em certo, mas já tive muitos. Meu último nome foi: O Dragão da Calamidade. Mas hoje meu nome mudou um pouco.

E qual seria o seu nome?

Curioso perguntar. Bem, eu me chamo agora Nita.

Você tem o meu nome.

Não, eu SOU você. Ola eu. Sou o espírito da calamidade, o arauto do fim do mundo, e você é o meu novo hospedeiro.

Sinta-se honrada.

Não sendo uma heroína em outro mundo, capítulo 7.

*Sons de pássaros*

“Hm… Bom… dia…”

É hoje que eu vou para “dungeon” com os amigos da Arey.

Eu tomo o meu café da manhã que tem na pousada (Que por acaso é frio e ruim, mas barato).

Depois eu faço um coque frouxo e- Pera, isso é de outra história. (Zueira)

Depois eu saio e vou na direção da guilda.

-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-

Quando eu chego na guilda, vejo que os três já estavam me esperando na entrada.

Jan: “Olha quem finalmente veio.”

Jan estava usando um robe azul, grande mas aberto o bastante para ele ter alguma mobilidade, nas suas costas tinha um cajado com um cristal vermelho na ponta.

Arey: “Nita! Já era hora, estávamos te esperando!”

Arey estava com uma armadura de metal, provavelmente nova, e com a sua espada na bainha que estava na sua cintura.

Orin: “Você está pronta?”

Já Orin não estava usando nenhum tipo de proteção, apenas uma roupa de tecido simples, na sua cintura tinha uma espada curta e nas suas costas tinha uma alijava com flechas e um arco de madeira.

Nita: “Ah, oi, desculpa por eu ter me atrasado, e sim.. eu tô pronta.”

Jan: “Antes de irmos, vamos explicar algumas coisas”

Jan e Orin me explicaram sobre a formação em que eles pensaram, eu e Arey vamos ficar na frente lutando e a Orin vai nos dar cobertura com o arco, Jan vai ficar mais atrás usando magias de ataque e suporte.

Jan: “Você entendeu?”

Nita: “Sim”

Jan: “Ótimo, vamos”

Da guilda nos fomos até o portão oeste da cidade, mostramos os cartões da guilda para os guardas e eles nos deixaram passar.

-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_

Seguindo o caminho para oeste, nós chegamos na entrada de uma caverna, que estranhamente tinha comerciantes e outros aventureiros circulando por lá.

Hm, nada de novo por enquanto.

Depois de passar pela área comercial nos entramos na caverna, e descemos por uma escada chegando ao primeiro nivel.

Orin: “Fiquem atentos. Monstros aparecem por todos os lados. ”

Jan: “Hai!”

Nita: “Certo.”

Arey: “Sim!”

Andando um pouco mais adiante nos encontrarmos os primeiros monstros, 16 morcegos que parecem ter o tamanho de um cachorro voam por cima de nos.

Todos entramos em posição de batalha, eu a Arey atacamos os morcegos que se aproximam, Orin proteje a nossa retaguarda e o Jan parece que está preparando uma magia se o cajado e as palavras que ele está sussurrando não forem um aviso.

Quando um morcego chega muito perto de mim, eu perfuro ele com a minha espada e jogo o corpo dele para o outro lado.

[Nita obteve as habilidades de “Morcego gigante”]

[Obteve Asas (Morcego)]

[Obteve Eco-localização]

[Obteve Dreno (HP)]

Ótimo. Novas habilidades.

Orin: “Ha!”

A Orin atira uma flecha que acerta um morcego que estava bem acima de mim.

Nita: “Valeu”

Jan: “*sussurro* Pronto! Abaixem!”

Todos nos pulamos no chão e a cena que aconteceu parece que saiu de um filme de magos.

Jan: “Thunderstorm!”

Uma tempestade elétrica saiu da ponta do cajado dele e acertou todos os morcegos, até os que estavam voando bem acima onde nenhum de nós podia alcançar, exeto eu é claro.

Orin: “Eu não esperava esse tipo de recepção, obrigado pela ajuda Jan.”

Jan: “De nada.”

Hm, você deve estar se perguntando porque eu não fiz nada né. Bem, primeiro, eu estou aqui para conhecer essa dungeon. Segundo, eu estou com mais gente, usar Incorporar aqui pode ser um problema.

Orin: “Nita, você está bem?”

Nita: “Ah! Sim. Porque?”

Jan: “Você meio que ficou parada por uns segundos olhando pro vazio.”

Nita: “Ah, não, não foi nada. Vamos!”

Nos continuamos a andar pela caverna e enfrentando mais monstros, mais morcegos, um ou dois goblins e o mais terrível de todos, uma aranha com mais de um metro, foi chato mas matamos ela, durante o caminho também pegamos materiais e itens dos monstros que podem ser vendidos. 

Nos continuamos a mesma formação, nesse meio tempo eu consegui novas habilidades:

[Fortificação], [Teia], [Veneno], [Membros] e [Garras]

Eu quero mais, Muito mais.

Ok, controle-se Nita, não fique louca.

*tuc*

Hum, eu bati em alguma coisa?

Quando eu olho, na minha frente tem uma porta de madeira. Isso seria a sala do chefe?

Orin: “Pessoal, essa é a sala do mestre, acho melhor voltamos”

Arey: “Aaah! Nós podemos enfrentar o mestre.”

Jan: “Arey, acho que isso é demais para nós, sem o Dio nós ficamos sem defesa.”

Um Boss hm? Eu quero entrar.

Nita: “Eu voto em entrarmos.”

Orin: “Tsk! Jan, o que você acha?.”

Jan: “Hm, acho que podemos vencê-lo…”

Arey: “Sim! Vamos nessa!”

-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_–_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-

A sala do mestre aka Boss, é uma arena de pedra quase redonda com uma porta bem no outro lado.

Na nossa frente deveria ter o Boss, mas a melhor forma de descrever isso e que é um Slime gigante com mais de 2 metros, azul e com uma bola do mesmo tamanho que uma cabeça humana no centro, ele balança e anda um pouco por ai.

Eu fico calma mas os outros não, a porta atrás de nós fecha e o Slime “anda” na nossa direção.

Jan: “Pessoal! Entrem em  formação!”

Arey e Eu: “S-Sim!”

Orin se afastou um pouco e eu e a Arey nos aproxumamos do boss slime.

Arey: “Ha! Que- Uwaa!”

Arey tenta acertar um golpe nele mas a espada dela afunda no corpo gelatinoso do Slime, ele então move o seu corpo e tenta engolir ela, Mas não vai!

Nita: “Larga ela!”

Eu puxo a Arey e ao mesmo tempo tento acertar a esfera no centro do slime, quando ele percebe isso ele dá um dash para trás para desviar largando a Arey.

Arey: “Hah… Vale-”

Orin: “Foco!”

A Orin dispara varias flechas contra o Slime mas nenhuma perfura muito o corpo dele sem causar dano.

Jan: *sussurro* “Abram caminho! Elekball!”

Saimos da frente e na mão de Jan aparece uma esfera elétrica, ele a lança contra o slime e acerta ele em cheio causando uma pequeno explosão, uma corrina de poeira foi levantada.

Orin: “Não…”

Quando a cortina de poeira baixou, o Slime voltou a se mexer como se nada tivesse acontecido.

Arey: “Flame Strike!”

A Arey usa uma técnica no slime mas não causa efeito algum, ela continua atacando mesmo sem fazer diferença.

Quanto o Slime faz um movimento brusco eu pego o braço dela e a puxo para longe.

Nita; “Orin!”

Orin: “Rapid fire!”

Orin atira uma flecha brilhante que se divide em várias flechas antes de acertar o Slime gigante, mas não causa efeito.

Droga, estou ficando sem opções, eu posso acabar com esse slime mas com esses três aqui vai ser complicado explicar.

Jan atira outra magia no Slime.

Jan: “Fire Shot!”

Várias bolas de fogo aparecem em cima de Jan, ele aponta para o Slime com o cajado e todas voam e acertam o monstro, o corpo dele balança mas não adianta nada.

A Orin quase acerta o núcleo dele mas quando a flecha ia acertar o slime moveu o núcleo para uma extremidade do corpo dele enquanto me atacava. Esse bixo Irritante.

O slime torce o seu corpo fazendo um tentáculo para me atacar, eu me defendo e desvio dos ataques dele, mas isso não vai durar muito, os outros vão ficar sem mp logo, só mais um pouco!

Após mais 3 minutos de luta todos estão exaustos, Jan já tinha desmaiado junto com Arey, Orin tinha ficado sem flechas então foi ao ataque direto só para ser nocautada por um dos golpes do slime sendo jogada para longe. Durante esse tempo eu finja estar lutando serio e usando algumas técnicas de tempo em tempo, eu vejo se todos estão inconscientes, depois eu volto a focar no boss.

Nita: “Sabe, você não é forte, Só é chato pra caralho.”

Eu avanço até o Slime apontando a minha espada para ele, enquanto eu corria, eu me concentrei na espada e ela começou a brilhar, essa seria uma técnica que eu tinha imaginado mas não tive tempo de testar, Vamos ver se isso funciona. Mas só agora eu pensei no nome dessa técnica e é-

“IMPALER!!”

Eu perfuro o corpo do slime com a minha espada, e a lâmina brilhante começa a se alongar e atravessa o núcleo dele saindo pelo outro lado e parando apenas quando a lâmina atinge a parede.

[Nita subiu de nível]

[Nita subiu de nível]

[Nita subiu de nível]

[Nita subiu de nível]

[Nita subiu de nível]

[Obteve habilidades de Slime Gigante]

[Obteve Corpo Amorfo]

[Obteve Absorção]

[Obteve Resistência Física]

[Obteve Resistência Mágica]

[Incorporar Subiu de nivel]

[Técnica de Espada subiu de nível]

Hah~Ótimo.

Não sendo uma heroína em outro mundo, capítulo 6.

Oi, eu sou Nita, ontem eu ganhei uma classe, e hoje eu estou indo testar as minhas novas habilidades.

Atualmente eu estou indo para um lugar longe da cidade em que eu possa testar sem me preocupar em alguém me ver, eu analiso usando “Visão Térmica”, Audição+” e “Olfato+”.

Yup! Ninguém por perto, perfeito.

Ah, e eu  comprei armas novas para eu testar as [Técnicas de Lança] e [Técnicas de Machado]. Novamente eu comprei com aquele Yionir. Cara estranho.

[Lança de aço]

Dur: 180

Atk: 13

[Machado de aço]
Dur: 120

Atk: 20

A lança e bastante longa, talvez 1 metro e meio, o cabo e feito de madeira e a ponta é de metal, já o machado é apenas um machado de metal com o cabo de madeira, eu consigo usá-lo com uma das minhas mãos sem problemas.

-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-

Ok, primeiro eu vou usar as habilidades novas de [Incorporar].

Asas, ativar!

*Fwomp!*

No momento que eu ativo a habilidade, um par de asas iguais as daquela vespa crescem nas minhas costas, ao mesmo tempo, a minha barra de stamina reduz de 300 para 290.

Ei, porque a minha stamina diminuiu?

[Quando a habilidade [Incorporar] precisa criar massa para usar algo, a sua stamina é gasta para cobrir o custo]

Oh, entendo.

Eu tento bater as asas, e elas balançam um pouco até que elas começamos a bater bem rápido fazendo um zunido bem alto, eu dou um leve impulso e eu saio voando por ai de uma forma nada graciosa, pelas asas terem crescido nas minhas costas e eu estar apenas parada no ar, as minhas costas estão arqueadas fazendo eu ter a mesma postura que aquela vespa.

Eu passeio por ai voando até eu ter um equilíbrio e controle melhor, depois eu vou devagar para o chão

Asas, desativar.

*Pin* 

Quando eu desativo as asas, elas simplesmente somem como se nunca tivessem existido, e depois, a minha stamina sobe de 290 para 295.

Então a minha stamina sobe quando desativo habilidades desse tipo. Interessante.

Ok, hora de testar “Escamas”

Escamas, ativar!

Começando pela ponta dos meus dedos e se espalhando pelo meu corpo, toda a minha pele se transforma em escamas, ao mesmo tempo em certas partes do meu corpo também crescem placas iguais as de um crocodilo.

Nada mais além disso, eu queria ter um espelho agora.

Eu passo a minha mão pelas escamas, yup! São de verdade, eu também tento ver as placas que creseram em mim mas a maioria estão nas minhas costas e eu não consigo ver.

Enquanto a minha MAG e AGI não mudaram, o meu ATK subiu de 300 para 340 e a minha DEF subiu de 100 para 130. Não surpreendeu tanto, mesmo assim não é uma habitantes tão util assim
Eu dou alguns golpes a minha espada, nehuma diferença nessa parte.

Bem por último seria “Exoesqueleto”. Uh, estou realmente preocupada com essa.
Se o que eu souber estiver certo eu vou virar um inseto gigante quando eu ativar essa habilidade. Ok… É lá vamos nós.

Exoesqueleto, ativar!

*pop*

Oh!

Stamina: 295>>265

Em um instante diversas placas cobrem o meu corpo formando um tipo de armadura. Eu digo armadura mas isso seria mais natural de ver em inseto gigante do que em mim, essa “armadura” cobriu todo o meu corpo contando com armadura de couro que eu estava usando, ela também cobriu o meu rosto que agora está coberto com algo que parece ser uma máscara. Eu diria que agora eu pareco um inseto humanoide gigante.

Eu olho nos meus status. Wow, isso sim foi um avanço.

O meu ATK subiu de 300 para 370 e incrivelmente a minha DEF subiu de 100 para 400, eu tenho mais defesa que qualquer armadura que eu tenha visto a venda.

Eu testo a minha movimentação…. normal, não parece ter tido muita diferença. Para testar a resistência dessa habilidade eu pego o meu machado, e acerto ele em cheio no meu braço, mas não faz nem um arranhão.

Hm, o que aconteceria se eu ativar outra habilidade de transformação. Vai funcionar?

[Sim]

Entendo.

Asas, ativar!

*Fwomp!*

Quando eu ativo as asas, elas não só crescem mas sim se fundem se tornando uma parte do exoesqueleto, eu tento voar com isso e me parece bem mais natural que antes.

Quando eu chego no chão eu ativo o “ferrão”, e novamente, invés de ter crescido normalmente os ferrões se fundem com o exoesqueleto parecendo algo natural.

Mesmo agora, eu pareco ainda mais com um inseto gigante.

Eu esqueço disso e a desativo, eu vou testar as Técnicas de armas agora.

Stamina: 265>>280

Hm, eu realmente recupero metade.

Ok, eu puxo a minha espada e tento ativar a técnica de espada, mas nada acontece.

Como eu ativo as técnicas de espada?

[Apenas concentre-se, e fale um nome de um ataque]

Entendo.

“Iron Squash!”

Mp: 260>>250

Quando eu falo isso e balanço a minha espada, uma onda de energia e disparada pela lamina da espada e voa até acertar uma árvore que cai com a força do golpe.

“Isso, não foi muito forte?”

[Não, considerando o seu ATK, isso foi normal]

Ah, ok.

Vamos testar outra coisa.

“Double cut!”
Mp: 250>>240

Novamente, a lamina da espada brilha com energia, e eu dou 2 golpes consecutivos no ar.

Hm, pelo que parece, eu não preciso falar o nome do ataque, mas fica mais fácil assim.
Eu coloco a espada na bainha, e puxo o meu machado do chão.

“Great Smash!”

Mp: 240>>230

Eu acerto o machado no chão com toda a minha força, e quando ele acerta, forma uma pequena cratera no chão.

Hm, isso não é bom, quando eu usei uma técnica de espada durou cerca de 1 segundo, mas quando eu usei essa durou 2, nah, eu penso nisso depois.

“Iron Spin!”

Mp: 230>>220

“Uwa!”

Eu balanço o machado na horizontal mas a força que eu puz nele faz eu girar um pouco, eu perco o equilíbrio e caio no chão.

“Uh, isso é um problema, eu preciso aprender a controlar isso melhor”

Certo, hora de testar a lança.

“Nita au lait!”

Mp: 220>>210

Apos eu ativar a técnica, a ponta da lança ficou brilhando por alguns segundos, então ela apagou.

Vamos tentar de novo.

“Spear Stab!”

Mp:210>>200

Dessa vez quando a ponta começa a brilhar eu uso a lança para perfurar o chão, quando a ponta encosta no chão ela perfura e a lança fica com mais da metade dela enterrada.

Eu (Com muito trabalho) consigo desenterrar a lança. Então, técnicas são golpes especiais que gastam Mp, mas aplicam um dano maior. E classes de ataque como guerreiros, ladinos e mercenário como eu usam como principal forma de ataque.

Hm? Porque o meu corpo parece pesado?

[Porque você gastou Mp, sem Mp você fica fraca e cansada]

Então se eu gastar todo o meu Mp de uma vez?

[Você desmaia, em piores casos até morre]

Entendo, vou me preocupar mais com isso agora em diante.

Depois disso eu fiquei testando mais técnicas e formas de lutar, até que o meu Mp ficou abaixo de 100 e a minha stamina ficou abaixo de 150.

“Hah! Hah!”

“Acho que, Hah… é melhor eu voltar e, Hah… descansar…”

Asas, ativar.

Não tem porque eu ir andando né?

-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-

Já na guilda, eu estava aproveitando um guisado quando a Arey chegou.

Arey: “Oi Nita”

Nita: “Ah, oi como vai” *munch*(Som de alguém comendo)

Arey: “Bem, sabe, eu e os meu parceiros vamos explorar a dungeon amanhã e…”

Du-Dungeon?

Nita: “E…?”

Arey: “Já que você ganhou a sua classe nos achamos que seria uma boa ideia você vir conosco”

Uma dungeon provavelmente vai ter uma grande variedade de monstros, um lugar perfeito para eu upar a “Incorporar”, alem de testar as minhas técnicas em combate, e também eu quero ir ver como é.

Nita: *munch* “Claro.”

Arey: “Certo, então… Amanhã bem cedos nos encontrarmos aqui, eu vou avisar aos outros.”

Nita: “Até amanhã” *glup* (Som de bebendo algo)

Hm, isso vai ser Divertido.

Ahn? De onde veio isso? Tutorial foi você?

[Não]

Nah, acho que foi coisa da minha cabeça.

*Munch* *Glup*

Ah, Delicioso.

What!

De novo!

De onde tá vindo isso?

Eu paro e tento escutar mas nada acontece, o que foi isso?

Depois disso eu fui para a pousada e dormir. Ainda pensando naquela voz na minha cabeça, eu realmente estou ficando maluca?

Nah! Quem liga

Boa noite.

Não sendo uma heroína em outro mundo, capítulo 5.

Correndo.              

Porque eu estou correndo?

Correndo.

De que eu estou correndo?

Correndo.

Para onde eu estou correndo?

Eu não olho para trás, eu não consigo.

Eu apenas corro.

Sem saber o que tem na minha frente, eu corro completamente cega pelas trevas.

“Algo” me dizendo para correr, não, fugir.

Fugir de que?

Minha curiosidade me faz indagar o que está atrás de mim.

Mas “isso” me diz para não me importar e correr.

Eu paro.

Eu lentamente me viro, olhando para trás de mim.

Apenas a escuridão, 

Algo está vindo.

Se aproxima.

E aos poucos, o pouco de luz ao redor de mim é absorvido pelas trevas.

Eu escolhi isso?

As trevas alcançam os meu joelhos, como agua.

Eu teria desistido?

As trevas sobem, e eu afundo nela, sentindo o meu corpo dissolver.

Era isso que eu queria?

A minha consciência desaparece, junto com os meus outros sentidos.

Não existe mais luz.

Não existe mais nada.

Eu não existo mais?

Não……..

_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-

Eu acordo, com a minha cabeça doendo, como se um trem tivesse me atropelado, ou seria um dragão, haha.

Faz 3 dias desde que eu conheci os parceiros da Arey, e eu subi para o nível 9 nesses dias.

Os meus status estão assim:

[Nita]

Lv:9

R:Humano

Ida: 17         Atk: 180

Gen: F          Def: 64

Hp: 800        Mag: 36

Mp: 250        Agi: 220

St: 300             

Exp: 1546/3000
Atualmente eu tenho 350 moedas do novo império.

Eu também conseguiu novas habilidades de um monstro chamado “Hydra serpentina Inferior” que na verdade era só uma cobra que cuspia ácido, eu ganhei as habilidades “Ácido”, “Resistência(acido)” e “Flexibilidade” dela, não teve muito mais alem disso.
Eu saio da cama, ainda no mesmo quarto, uma cama, uma janela e uma mesa pequena com o pouco que tenho em cima.

Eu pego a minha bolsa, como o café da manhã ruim dessa pousada e vou para fora, tenho algumas coisas planejadas para hoje.

Eu estou quase chegando ao nível 10, e eu ainda não pensei em que classes escolher, classes mágicas estão fora de opção, pelos meus status eu seria melhor com uma classes física.

Ah sim, eu esqueci de falar, eu comprei uma arma.

[Espada de aço]

<Feito por Yionir>

Dur: 150

Atk+15.

O cara que me vendeu isso, ele era estranho, alto e careca quase quebrando o estereótipo de ferreiro, ele foi recomendado pela Arey por vender armas boas sem cobrar caro, ele tinha uma aura de experiência que eu nunca tinha visto antes.

Já que usar “Ferrão” pode me comprometer eu decidi garantir algo para eu usar na reserva.

Ok, hora de ir para a guilda.

-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-

Acabei pegando uma quest simples para pegar uma erva chamada “gota da lua”, ao que parece elas cressem perto do território de monstros por isso eles pagam aventureiros para pegar essas ervas. Isso vai ser fácil.

Eu ando pela área que eles disseram que tem varias dessas, na guilda eu perguntei como a erva se parece dizendo a desculpa de “não tinha na região onde eu morava”, e igual a grama normal mas e azul, o tutorial disse que é usado em poções, legal. Essas ervas também são fonte de alimento de certos monstros então avisam para ter cuidado.

Eu pego todas que eu vejo e aos poucos, a pequena bolsa que eu trouxe fica cheia, depois que não cabem mais ervas eu vou pelo caminho em que eu vim.

Mas em um instante, algo pontudo vem voando na minha direção, por reflexo eu pego e percebo que é um dardo com veneno, eu ativo a visão de calor e vejo quatro goblins se escondendo na grama alta, todos são magros e menores que eu correndo de um lado para o outro me cercando, eu saco a minha espada. Um deles sai da grama com um punhal apontando para mim, ele tenta me perfurar mas eu desvio com um simples passo e acerto a minha espada pelo peito dele, sai muito sangue, quando ele cai no chão os outros também saem da grama, todos armados com objetos cortantes, um deles tinha uma zarabatana, mostrando ser o que tentou me envenenar.
Eu entro em posição de batalha e eles também, um deles já corre ate mim e outro vem bem do lado, eu seguro o braço do primeiro quando ele tenta me apunhalar e acerto a barriga dele com o cabo da espada fazendo ele cair no chão, o outro já chega com a faca mas o meu reflexo age mais rápido.

[Nita obteve as habilidades de Goblin da campina(ladino)]

[Obteve Movimentação(campina)]

[Obteve Furtivo]

[Furtivo foi excluido por já pussuir uma habilidade com o mesmo nome]

[Nita subiu para o nivel 10, escolha de classe inicial disponível]

Nita: “Huh, o que?”

Depois que eu balanço a minha espada eu vejo que a cabeça dele sumiu, ai percebo que eu cortei a cabeça dele que cai no chão alguns metros mais longe, eu olho para o goblin que me observa aterrorizado, ele pega o parceiro morto dele no chão e corre, fugindo de mim, eu dou tanto medo assim?

Eu olho para o goblin desmaiado no chão do meu lado, não tenho a mínima ideia do que fazer nessa situação, eu coloco ele em um lugar onde eu acho que ele vai ficar bem e vou embora, depois que eu limpo o sangue que caiu em mim.

Nita: “Eu juro que isso foi um acidente.”

-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-

Na guilda eu entrego as ervas e a atendente logo chega com algumas moedas, hm, acho que eu não expliquei como funciona o sistema monetário dele reino né. Bem, apenas há 3 tipos de moedas, as de bronze, as de prata que valem 10 das  de bronze e as de ouro que valem 10 das de prata.

Eu vou deixar as explicações desse mundo para mais tarde.

Certo, finalmente eu posso escolher uma classe, mas antes eu vou abrir o meu status:

[Nita]

Lv:10

R:Humano

Ida: 17               Atk: 200

Gen: F               Def: 66

Hp: 850            Mag: 36

Mp: 260            Agi: 270

St: 300             

Exp: 40/4789

Hm, o meu atk aumentou um pouco, minha Def e Mag quase não mudaram, a minha Agi ficou mais alta, ao que parece eu vou escolher uma classe voltada em Agi.

Nita: (Tutorial, eu posso ver quais classes estão disponíveis para mim?)

[Sim, vá em ‘Classes’]

Ok, Classes.

[Nita]

Classe: Nenhuma

Classes disponíveis: Guerreiro, Ladino, Caçador, Monge, Mercenário.

Um, eu até estava esperando alguma classe especial ou nova e algo do tipo, mas nope, só classes normais para mim.

Vejamos, Tutorial, faça a descrição de todas essas classes.

[Guerreiro: Usa de ataques com armas. (Atk)
Ladino: Usa furtividade e agilidade em combate. (Agi)
Caçador: Pode usar tanto ataques de curta distância ou longa distância, usa furtividade.(Atk, Agi)
Monge: Ataques de curta distância desarmado. (Atk, Agi)
Mercenário: Usa armas em combate, pode usar agilidade ou defesa. (Atk, Def ou Agi)]

Um, pois é… Guerreiro ou Ladino é habitual, Caçador é pela minha Agi, Monge deve ser por eu usar muitos ataques derramada mas… Tutorial, porque eu posso escolher Mercenário como classe inicial, isso não deveria ser uma classe avançada?

[Por você possuir Incorporar, a classe: Mercenário tornou-se disponível]

O que “Incorporar” tem a ver com isso

[Incapaz se responder]

*Aqui seria algo muito ruim, mas decidi não colocar e deixar vocês imaginarem um palavrão bem ruim*

Erm, ok, então Mercenário seria uma classe boa para mim?

[Possibilidade alta]

Tsk, eu poderia escolher outra classe mas… Algo me diz para escolher essa classe. Ok, vai ser Mercenário, eu já queria uma opção mais interessante mesmo.

Eu vou até uma das atendentes e digo que eu quero escolher uma classe, ela pede o meu cartão da guilda e eu entrego a ela, depois ela pede para eu seguir ela até uma sala.

A sala era bem parecida com a sala em que eu me registrei, tinha uma tia la dentro com cara de 60 anos me esperando.

Tia: “Sente-se.”

Nita: “Sim.”

Ela colocou um papel na mesa, com um grande círculo preto nele.

A tia me entregou uma agulha meio brilhante.

Tia: “Fure o seu dedo com isso, e pingue uma gota do seu sangue no circulo de tinta.”

Nita: “Sim.”

Eu furo o meu dedo com a agulha e pingo o meu sangue no papel, depois a tia começa a falar alguma coisa e a tinta no papel começa a mudar de lugar formando alguns desenhos igual a antes. No papel estava escrito as classes que eu podia escolher. Sem hesitar muito eu escolhi “Mercenário” e apontei com o meu dedo na folha, a tia voltou a falar a ligua que eu não entendo, o desenho no papel mudou novamente, dessa vez era um unico circulo formado por uma linha.

Tia: “Ponha a sua mão dentro.”

Segundo o que ela disse eu coloquei a minha mão no interior do círculo e no momento que a minha mão encostou eu senti algo passar pela minha mão, eu quase tirei a minha mão mas a tia disse que era normal e que eu deveria me acalmar.

Tia: “Pronto, pode tirar.”

Após alguns segundos eu finalmente posso tirar a minha mão.

Tia: “Está completo, pode ir.”

Nita: “Uh, mas já, eu não estou sentindo nada de diferente.”

Tia: “Mas está, pode ir.”

Eu saio da sala e verifico os meus status

[Nita]

Mercenária

Lv:10

R:Humano

Ida: 17               Atk: 300

Gen: F               Def: 100

Hp: 850            Mag: 40

Mp: 260            Agi: 370

St: 300             

Exp: 40/4789
[Habilidades]

>Incorporar Lv3(H, N)  

  ●Ácido(Fraco)

  ●Audição+

  ●Asas(Inseto) 

  ●Escamas(Réptil) 

  ●Exoesqueleto 

  ●Ferrão

  ●Flexibilidade

  ●Furtivo

  ●Idioma Goblin

  ●Movimentação(Floresta)

  ●Movimentação(Campina)

  ●Olfato+

  ●Resistência(Ácido)

  ●Visão Termica

  ●Veneno(Anestésico)

  ●Trabalho em Equipe
>Técnica de espada Lv1

>Técnica de lança Lv1

>Técnica de machado Lv1

>Tutorial(H, N)

Wow, os meus status subiram muito, Incorporar subiu até o nível 3 e eu ganhei mais 3 habilidades novas, uhuu!

De volta a entrada a atendente devolve o meu cartão, dessa vez não era o cartão simples de antes mas sim um metálico igual ao da Arey.

Atendente: “Boa sorte!”

Nita: “Obrigada.”

Eu como um bom assado para me acalmar e vou de volta para a estalagem, para eu dormir, amanhã eu vou testar as coisas novas.

Não sendo uma heroína em outro mundo, capítulo 4.

“Uhn…”

Eu acordei com a luz do sol passando pelas arestas da janela e acertando o meu rosto, com memórias vagas de um sonho incrivelmente estranho.

“Muaaah(bocejo)”

Melhor ir logo, é hora de trabalhar.

-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-

Saindo da cidade eu vou em direção a uma floresta, eu acabei aceitei uma “quest”, eu tenho que pegar materiais de um monstro chamado “Vespa Brutal”, eu estou sozinha agora. 

Pelo que o [tutorial] disse, o veneno dos ferrões dessa vespa é usado como anestésico… Não quero nem saber o porquê dela ter ou como essa vespa usa esse veneno, bem, eles vão me pagar bem por isso. Estranho.

Andando por essa floresta eu vejo a tal vespa, comendo algo que parece ter sido um coelho, ela percebe a minha presença e avança na minha direção apontando o ferrão dela em mim, eu me abaixo e ela passa voando por cima de mim, eu vou até ela e tento acertar um golpe mas ela voa para cima desviando do meu soco. A vespa avança em mim de novo, eu espero e desvio no último segundo e contra-ataco com um chute que acerta e atravessa o abdômen da vespa, ela balança um pouco e depois cai no chão, morta.

[Obteve habilidades de ‘Vespa Brutal’]

[Obteve “Ferrão”]

[Obteve “Asas(Inseto)” X]

[Obteve “Veneno(Anestésico)”]

[Obteve “Exoesqueleto” X]

Wow, acabei ganhando um monte de habilidades. Eu olho envolta, ninguém a vista, Certo.

Ativar “Ferrão”

No momento que eu penso, uma agulha, do tamanho de um dos meus dedos, sai de uma das minhas mãos igual as garras do wolverine, legal. Eu movo um pouco e tento fazer ela menor até ficar quase invisível… Pronto! Depois eu tento criar outro ferrão na minha outra mão, da pra fazer isso também. Depois eu ativo o “Veneno(Anestésico)”

Ativar “Veneno Anestésico”

Eu olho envolta, e espero algo acontecer quando eu sinto um formigamento nas minhas mãos, ai é quando eu percebo que os ferrões nas minhas mãos estão pingando algo das pontas, isso é o veneno

[Sim]

Oh, tinha esquecido de você. Como essa habilidade de veneno funciona?

[Ela cria glândulas que geram o veneno em partes específicas]

Huh, eu posso usar em outras partes?

[Sim, em presas, garras e saliva]

Bom saber…. Como eu pego o veneno da vespa?

[Arranque o ferrão, o saco de veneno está lá]

Ok, eu puxo o ferrão da vespa, ele sai sem esforço algum.

Uh… Tem outra coisa que eu posso fazer com o resto?

[Você pode comer se quiser]

Ah! Não! Eu vou atrás de mais vespas!

Eca!

-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-

“1, 2, 3… 40! Finalmente!”

Eu terminei de pegar os ferrões, eu também ganhei 4 níveis, sabe essas vespas são só grandes, elas morrem com um golpe.

Os meus status ficaram assim:

Atk:  140

Def:  60

Mag: 30

Def:  160

Isso… Eu não fiquei forte demais?

[Sim]

Porque os meu status estão tão altos?

[A habilidade《Incorporar》lhe dá um bônus de status]

Sério? Eu posso ver esse bônus?

[Sim, usando《Tutorial》 você pode analisar as suas habilidades]

Porque você não me disse isso antes

[Porque você não tinha perguntado]

P*RRA.

Erm… Ok, Tutorial, análise Incorporar.

[Incorporar] Lv 3 (1/10)

Desc:

O usuário e capaz de obter habilidades naturais dos seres que ele elimina, e depois usar essas habilidades por vontade própria.

(Bônus = 10xLv em % para todos os status)
Habilidades obtidas:

 ●Audição+

 ●Olfato+

 ●Escamas X

 ●Exoesqueleto X

 ●Asas(Inseto) X

 ●Ferrão

 ●Visão Termica

 ●Veneno(Anestésico)

 ●Líder

Uh, provavelmente isso é minha culpa.

Eu balanço a cabeça.

Melhor eu voltar e pegar o meu pagamento logo.

-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-

Enquanto eu voltava pelo mesmo caminho que eu vinha, um grupo de monstros com uma aparência bem famíliar entrou no meu caminho. Com uma pele verde e aparência primitiva eles carregavam armas enferrujadas e armaduras quebradas um trio deles me encaram, um deles está com um bastão, provavelmente um mago.

Nita: (Isso seria… Goblins?)

Goblin 1: “ადამიანის! მომეცი შენი ფული!” (Humano! Dê-me seu dinheiro!)

Goblin 2: “ჩვენ ძლიერები ვართ!! დაკარგვის!!” (Nós somos fortes!! Você perde!!)

Goblin Mago: “……”

Eu já entro em uma posição de luta que vi em um filme, eles não parecem que vão me deixar passar.

Um dos dois goblins da frente leventa a espada e ambos correm na minha direção enquanto o de trás sussurra alguma coisa. Quando um dos goblins tenta me atingir eu desvio e contra-ataco com um soco mas o goblin consegue defender com a espada de alguma forma, o outro vem logo após tentando usar a adaga em suas mãos para me acertar, mas eu seguro a adaga e ele a solta e pula para trás tirando outra adaga de uma bolsa que eu não tinha notado.

Goblin Mago: “Flame!”

O goblin mago grita e uma bola de fogo sai da ponta do bastão dele que me acerta em cheio.

Nita: “Agh!”

Isso… Tirou 1/5 do meu HP em um tiro!? Droga, tenho que me livar desse mago.

Nita: “Huaaaaa!!!”

Eu avanço no mago pronta para acertar um golpe em cheio, mas os outros dois goblins pulam na minha frente e o menor leva o golpe.

Goblin 2: “Guaa!!”

Ele grita e cai no chão e fical lá, sem se mover.

[Nita obteve habilidades de Goblin da Floresta, Ladrão]

[Obteve “Trabalho em equipe”]

[Obteve “Idioma Goblin”]

[Obteve “Movimentação: Floresta”]

[Obteve “Furtivo”]

Os dois olham para o amigo deles morto e olham para mim, o maior solta um grito e balança a sua espada feito louco tentando me acertar, o mago começa a preparar outra magia.

Goblin 1: “Maaaaalditaaaaaaaa!!!!”

Nita: “Ei, eu te entendo agora”

Goblin 1 e Mago: “Cala a boca sua assassina!!!!”

Nita: (Droga, eles não estão para conversa, vai ser pior se eles com todo esse barulho consigam chamar atenção de alguma coisa, tenho que me livrar deles)

Quando o goblin maior para de atacar eu ativo o “Ferrão” e o “Anestésico” e perfuro ele, o goblin balança um pouco e depois cai no chão, desmaiado, o outro olha para min com uma cara de medo, vendo o ferrão na minha mão mais longo que qualquer um dos meus dedos, eu o ataco antes que ele possa fazer qualquer coisa e uso o “Anestésico” nele também.

Nita: “Wow, isso foi mais simples do que eu esperava, agora hora de lidar com esses caras.”

Eu olho nas coisas dos três, nada de útil, eu pego apenas a bolsa com algumas moedas do goblin menor que eu matei sem querer, eu desativo “Ferrão” e “Anestésico” e volto por onde eu estava indo, eu quero saber quais habilidades os outros dois vão me dar mais eu não consigo matar eles assim.

Eu posso parecer calma, mas eu estou nervosa pra caraio agora, eu acabei de ser assaltada e venci um trio de goblins.

-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-

Na guilda eu entrego os ferrões de vespa, a atendente olha um por um, assina uns papeis, depois ela trás uma bolsa pequena com moedas, ela pergunta se eu tenho algo a mais para fazer e eu digo que não, olhando em volta eu vejo a Arey sentada em uma mesa com outras pessoas, ela acena para mim e me chama.

Eu vou até a mesa e me sento em uma cadeira vazia.

Arey: “Pessoal essa é a amiga que eu estava falando, Nita, esses são Orin e Jan.”

Ela aponta para os dois na mesa, Orin, uma mulher em seus 30, ruiva e carregando um arco nas costas, e Jan, um garoto, com cabelos escuro e um bastão muito superior ao daquele goblins mostrando que ele é um mago.

Orin: “Oi, como ela já disse sou Orin, arqueira nivel 20.”

Jan: “Yo, sou Jan, mago nível 22.”

Nita: “Ola, eu sou Nita, novata nível 6.”

Arey: “Era para ter mais alguem aqui mas o nosso amigo Dio não pode vir.”

Nita: “Ah, Ok” (Dio? Dio… Dio!  DIO!?!?)

Arey: “Nita, acho que eu não lhe disse ainda, eu sou uma guerreira nivel 12.”

Me falaram sobre isso, depois do nivel dez um aventureiro pode obter uma classe, isso vai aumentar os status dele e vai permitir que ele use habilidades dessa classe.

Depois das introduções nos quatro conversamos por alguns minutos, quando a fome veio até mim.

Nita: “Ei, onde eu posso pedir alguma coisa eu tô morrendo de fome.”

Arey: “Nós já pedim- Olha, já tá chegando.”

Uma garçonete vem com uma bandeja com vários pratos, cozidos, assados e até uma salada.

Orin: “Podem comer, e por minha conta hoje.”

Que dia otimo é hoje, e sim, eu gosto de comer muito.

Depois de comer nos conversamos por mas algum tempo sem perceber que estava anoitecendo.

Nita: (Então ter amigos é assim)

_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_

Já estava de noite, as lanternas a óleo iluminavam a rua, poucas pessoas passavam andando e não tinha nenhuma carruagem, eu digo tchau para os três e vou para a pousada de antes, espero que eles ainda tenham quartos.

Na pousada eu como o meu jantar e durmo esperando que amanhã não seja um dia ruim, que estranho, porque será que eu estou curiosa em saber como está a minha família.

Boa noite.